terça-feira, 2 de junho de 2015

DE GRAÇA EU VOU - Começa nesta terça-feira (2), o programa Clássicos do Cimena da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santouro

Sinfônica do Teatro Nacional toca clássicos do cinema para estudantes em junho

Ingresso gratuito deve ser retirado uma hora antes do espetáculo


Programação do mês terá mais seis apresentações e rotina cheia de ensaios para os 75 músicos que compõem a orquestra


Sucesso de público desde março, o programa Clássicos do Cinema, por meio do qual a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro executa trilhas sonoras de filmes, será retomado em junho. Desta vez, estão agendadas três apresentações, duas delas no dia 9. A primeira, às 10 horas, no Auditório Planalto do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, vai ser exclusiva para 550 alunos de duas escolas do DF, uma pública e outra particular.
A ação, denominada Concerto Didático, será inédita e pontual — ainda não há data para novas exibições dedicadas aos estudantes. "É uma iniciativa de grande impacto na formação cultural dos jovens", pontua o maestro titular, Claudio Cohen. Segundo ele, a ideia é implementar o projeto de forma regular tão logo o governo recupere o orçamento destinado a atividades educativas.
Também no dia 9 e no Centro de Convenções, a partir das 20 horas, a orquestra executa o programa em apresentação aberta ao público. Sob regência do maestro titular, os artistas iniciam a série com Salute to the Cinema, do compositor norte-americano Carl Strommen. A obra seguinte é Now We Are Free, de Hans Zimmer e Lisa Gerrard, tema do filme Gladiador (2000), de Ridley Scott. Na sequência, virá Gabriel's Oboe, escrita pelo italiano Ennio Morricone e presente em A Missão (1986), do cineasta Roland Joffé.
A trilogia O Senhor dos Anéis, do diretor Peter Jackson, terá músicas tocadas pela sinfônica. Os instrumentistas executam também o tango Oblivion — tema de filme homônimo —, do italiano Astor Piazolla, e a trilha de Batman (1989), de Tim Burton, composta pelo estadunidense Danny Elfman e adaptada pelo brasileiro Alexandre Brasolim. O repertório inclui ainda duas composições de John Williams:Star Wars Suite, interpretada pela Orquestra Sinfônica de Londres para a trilha sonora do filme de George Lucas, e o tema de Superman (1978), de Richard Donner.
Outra atração da noite é Aquarela do Brasil, escrita por Ary Barroso. A canção foi tema do curta-metragem de animação Saludos Amigos (1942), protagonizado pelo papagaio Zé Carioca. A programação traz ainda Meet The Flintstones, interpretado pela banda norte-americana The B-52's, do filme Os Flinstones (1994), dirigido por Brian Levant, e o tema de Missão Impossível (1996), de Brian de Palma, composto por Danny Elfman.
Completa o programa um medley (sequência de trechos de músicas) de filmes que têm como protagonista o agente do serviço secreto britânico James Bond 007. "Além de serem obras de grandes compositores, elas têm muito impacto quando executadas por uma orquestra sinfônica ao vivo", ressalta Claudio Cohen. O projeto de tocar trilhas de cinema surgiu pela primeira vez em 2003, mas só foi retomado em 2014.
A terceira sessão do Clássicos do Cinema ocorrerá em 13 de junho no Iate Clube de Brasília, onde, além das trilhas cinematográficas, serão executadas a Sinfonia nº 5, de Beethoven, e a Valsa das Flores, de Tchaikovsky. A entrada é mediante doação de um quilo de alimento não perecível (exceto sal) por pessoa. Até 12 de junho, os ingressos para sócios podem ser retirados na superintendência do clube e os para não sócios, na secretaria.
Outros espetáculos
As performances de junho começam nesta terça-feira (2), com o programa Sibelius 150 Anos, em homenagem ao finlandês Jean Sibelius. A série inclui o Concerto para Violoncelo e Orquestra nº 2 em Ré Maior, do austríaco Joseph Haydn, e a Sinfonia nº 2 em Ré Maior Opus 43, de Sibelius. O solista da noite será Rodolpho Borges.

Nas outras semanas do mês, os músicos mantêm o projeto Concertos de Dom Bosco, ciclo de apresentações em homenagem ao bicentenário do santo padroeiro de Brasília, o sacerdote italiano Dom Bosco (1815-1888). Também haverá o Concerto Turco-Brasileiro, com os artistas turcos Cihat Asking e Zeynep Ucbasaran e shows clássicos com repertório de Mozart, Beethoven e Villa-Lobos, sob regência dos convidados Marcio Steuernagel e Laercio Diniz.
Ensaios
Para manter o ritmo de espetáculos, os instrumentistas ensaiam quatro dias por semana: nas segundas-feiras, de manhã e à tarde; e nas terças, quintas e sextas-feiras de manhã. Terça-feira é o dia fixo dos concertos, sempre às 20 horas, no Auditório Planalto do Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

O quadro de músicos é de 120 profissionais, mas atualmente há 75 efetivos, e 20 aprovados no concurso público de 2014 aguardam nomeação. Quanto aos instrumentos, a orquestra é formada por 20 violinos, dez violas, dez violoncelos, cinco contrabaixos, três flautas, três oboés, quatro fagotes, quatro clarinetas, quatro trompas, três trombones, quatro trompetes, cinco percussões e uma harpa.

Fonte: Agência Brasília

Nenhum comentário:

Postar um comentário