quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Celina Leão apresenta Moção de Louvor à Malala Yousafzay


Celina Leão apresenta Moção de Louvor à Malala Yousafzay

A deputada Celina Leão (PDT) apresentou, na tarde desta quarta-feira (15) uma Moção para manifestar votos de louvor e parabenizar a jovem paquistanesa Malala Yousafzay, que foi agraciada com o Prêmio Nobel da Paz de 2014, em reconhecimento a sua luta em defesa do direito à educação de crianças e adolescentes.
“Malala é uma ativista precoce, começou ainda criança e vem desenvolvendo uma importante e admirável luta em defesa do direito à educação, sobretudo de meninas e mulheres. Este é um reconhecimento público pela importância da luta desta jovem, não só do Paquistão, mas de todo o mundo. Ela é um exemplo de motivação para nós, pois muito se fala sobre educação, mas pouco é feito”, destacou a deputada.
A história de Malala revela, apesar da pouca idade (17 anos), sua resiliência. A jovem quase morreu após sofrer uma emboscada, quando levou um tiro na cabeça, no ônibus escolar em que se encontrava, no Vale do Swat, no Paquistão, ela conseguiu sobreviver e continua sua luta para que prevaleça o direito à educação gratuita a crianças de baixa renda, principalmente a estudantes do sexo feminino em seu país, sob o regime Talibã. Estima-se que existe hoje por volta de 34% da parcela feminina do Paquistão nas escolas locais.
A influência de Malala pode ter vindo de seu próprio pai, que é um militante pela democratização da educação, mas a menina estabeleceu uma marca própria para se expressar. Ela criou à época o blog Diário de uma estudante paquistanesa, primeiramente com pseudônimo, que foi descoberto pela mídia Ocidental e projetou seus apelos.
Em 2014, Malala recebe o Prêmio Nobel e ressalta que ser premiada para ela significa que não é o fim, mas apenas o começo da sua luta.
O comitê do Prêmio Nobel destacou a importância de se conceder o prêmio a Malala pelo seu "exemplo" e sua "luta heróica", que a transformou em "porta-voz principal" da luta pelos direitos das meninas à educação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário